TURISMO EM ESPAÇO RURAL , Foz da Ribeira, Sabóia, Odemira

Projeto | 2020

Autores: Arqº Henrique Schreck, Arqª Raquel Cunha e Pedro Neves

Descrição:

Os edifícios propostos a integrar neste TER serão construídos todos em Taipa, terra crua compactada e desenvolvem-se, por princípio, sempre adaptados ao terreno e às curvas de nível, totalmente ajustados à zona onde são implantados. Os edifícios, independentemente da configuração do corpo edificado e a sua articulação com o terreno são de linguagem tradicional. No exterior as paredes são caiadas. As coberturas serão em telha cerâmica de barro na cor natural com beirados tipo “à Portuguesa” e chaminés de formato tradicional.

O edifício A desenvolve-se em duas cotas. A entrada principal encontra-se a sudeste, antecedida de um pátio com pérgola de madeira e dá acesso à recepção do TER com uma pequena instalação sanitária. No alçado nordeste também antecedida de um pátio com pérgola de madeira encontra-se uma área de serviço onde fica a lavandaria e um pequeno arrumo de apoio ao TER.

O edifício B é composto por três partes. A parte central, é composta por sala e cozinha comum para utilização de todos os utentes das unidades de alojamento. O acesso é feita a nascente e do lado poente beneficia de uma zona de estar exterior com pérgola em madeira e um fontanário. A parte mais a sul, é composta por duas unidades de alojamento com instalação sanitária privada. Existe também uma porta de ligação entre as duas unidades que possibilita o funcionamento conjunto de forma a albergar grupos maiores ou famílias. Na parte mais a norte, o edifício tem quatro unidades de alojamento, todas com instalações sanitárias privativas e com a mesma possibilidade de comunicação entre elas. As entradas para as unidades de alojamento assim como para a sala comum são feitas através zonas de estar exteriores materializadas por pátios com pérgolas de madeira.

Os edifícios C são um conjunto de quatro edifícios idênticos. Cada edifício é composto por um quarto e um pequeno pátio de entrada com pérgola de madeira. A sua forma é cilíndrica e a sua cobertura em cúpula e com um lanternim circular no centro.
O edifício D está dividido em duas partes, parte pertencente ao TER onde ficam os balneários, masculinos e femininos de apoio as unidades de alojamento dos edifícios C. Tem a sua entrada pela zona noroeste. Cada balneário tem cabines individuais com sanitas, o feminino duas áreas de duches e o masculino uma zona de urinóis e uma área de duche.

A outra parte do edifício D correspondente ao apoio agrícola e é composto por um espaço único. Este espaço é proposto por necessidade de ter um apoio para guardar tudo o que possa ser necessário para desenvolver uma pequena atividade agrícola (horta) e ferramentas para cuidado e arranjo das zonas exteriores do empreendimento, passando o edifício existente a estar integrado no TER como área para arrumos de apoio ás unidades de alojamento.

 

img00
img01
img02
img03
img04
img05
img06
img07
img08
img09
img010
previous arrow
next arrow