HABITAÇÃO, Arrifóias, Boavista dos Pinheiros, Odemira

Projeto | 2016

Obra | 2018

Autores: Arqº Henrique Schreck, Arqª Raquel Cunha e Pedro Neves

Descrição:

A solução proposta consiste num edifício de um só piso destinado a habitação de tipologia T5, com uma linguagem formal com as características da casa típica alentejana. Consiste num edifício de proporções controladas, uma vez que se trata de uma construção nova, de forma que fique o melhor integrada possível no terreno e o menor impacto visual de volume de construção na paisagem. O edifício é essencialmente composto por três volumes com um pátio central.

A habitação T5 pretende servir uma família composta por cinco pessoas. Neste âmbito a habitação é composta por uma zona privada, com orientação nascente/sudeste, onde se localizam os quartos e duas casas de banho de apoio aos mesmos.

Os restantes espaços que compõem a habitação, como a cozinha, a sala e escritório, têm uma orientação para sudoeste/poente e convergem para um pátio exterior, resguardado dos ventos típicos de Noroeste nesta zona e favorecendo a exposição solar de toda a casa, tanto no Inverno como no Verão. Por questões de funcionalidade, a cozinha tem uma ligação directa com a zona de garagem, lavandaria e arrumos situadas a Noroeste do resto da habitação.

O edifício tem relação franca com o exterior através de vários acessos.

Todos os quartos têm saída directa para o exterior através de vãos de sacada

Do ponto de vista da integração da edificação, procurou-se uma zona do terreno com cotas mais altas, afastado das linhas de água predominantes no local, numa zona de fácil acesso à habitação e um sítio em que a habitação fica de certa forma protegida dos ventos predominantes da região, pela própria morfologia do terreno na zona mais a noroeste. Com esta abordagem pensamos que a integração do edifíco proposto será a mais subtil e discreta possível.

É também nossa intenção, em relação aos arranjos exteriores, manter o terreno natural sem qualquer intervenção de modo a preservar as espécies autóctones, respeitar o coberto vegetal e a morfologia do terreno. Assim, no sentido de minimizar ao máximo os efeitos do impacto da construção e percursos, com esta localização de implantação da habitação, evitamos na totalidade modelações de terreno, aterros e escavações.

00-Foto Principal
00-Foto Principal
dav
dav
dav
dav
dav
dav
dav
dav
31
31
32
32
33
33
34
34
35
35
36
36
37-Planta-de-Implantação
37-Planta-de-Implantação
38-Planta
38-Planta
39-Planta-Cobertura
39-Planta-Cobertura
40-Alçados
40-Alçados
41-ALçados
41-ALçados
42-Cortes
42-Cortes
previous arrow
next arrow